Games 4Evil! - Tudo sobre games

Novidades, análises, prévias e mais sobre jogos


    [ANÁLISE] The Walking Dead: A New Day

    Compartilhe

    LeonMaster


    <b></b> :
    Online
    Offline

    <b>Jogo Favorito</b> Jogo Favorito : Crash Bandicoot
    <b>Data de inscrição</b> Data de inscrição : 03/10/2011
    <b>Mensagens</b> Mensagens : 2141
    <b>Pontos</b> Pontos : 1358
    <b>Avaliações Positivas</b> Avaliações Positivas : 23
    <b>Frase</b> Frase : E as super estrelas são sugadas pra dentro do supermassivo...

    Aprovado [ANÁLISE] The Walking Dead: A New Day

    Mensagem por LeonMaster em 27/5/2014, 17:30


    A New Day um jogo desenvolvido pela Telltale Games, empresa especializada no conceito de jogos Point n' click, e desenvolvedora de jogos como Back To The Future e Jurassic Park: The Game.

    O protagonista é um prisioneiro chamado Lee e uma menina de sete anos de idade chamada Clementine. No jogo você será Lee Everett, um homem condenado por um crime, em que lhe é oferecida uma chance de redenção... Ainda que em um mundo tomado por zumbis.


    A história é muito boa...

    O início é um pouco lento, muito falado e decisões de diálogos pouco relevantes, afinal serve simplesmente pra introduzir o personagem Lee, o qual você controla, e os motivos dele estar ali, algemado, sendo conduzido pelo policial. Porém, do nada, o carro bate em alguém, sai da estrada e quando você vê o jogo te joga pra ação. Com poucos minutos de história, a relação desenvolvida entre Lee e a garotinha Clementine já consegue ser envolvente, a ponto de não se conseguir parar de jogar esperando o que possa vir a seguir.

    A parte artística também...

    Apesar dos gráficos serem amplamente utilizados em cell shade, o estilo cartunesco, herdado das HQs da série propositalmente, caem muito bem, mostrando muito mais dramaticidade em cenas que gráficos beirando o surrealismo nos deixariam em dúvida. Zumbis parecem mais zumbis que nunca, se é que isso é possível, e as expressões faciais, assim como a sincronização de vozes, são exemplares.

    O áudio não fica atrás...

    O jogo é minimalista, ruídos, respiração ofegante, autofalantes com chiado, televisores com chiado, rosnado de zumbi... Tudo funciona como devia funcionar. A sincronização de voz, como citada anteriormente, é excelente, funcionando para a imersão do jogador como parte daquilo tudo.

    As decisões influenciam claramente...

    O jogo te deixa em xeque-mate a todo o momento, mostrando reações que não te levam diretamente a um lugar só, seja salvando ou ficando do lado de alguém, tudo que você espera de um personagem, se você fizer o inverso, pode desaparecer, assim como se você fizer algo a favor, terá a confiança do mesmo. Isso também aparece claro, como se você estivesse lendo uma HQ da série, com balões indicando o pensamento ao seu redor, quando palavras simplesmente não bastam. Ah sim, também tem o interessante gráfico de escolhas feitas por outros jogadores anteriormente, que acabam conflitando seu progresso, que me deixou particularmente surpreso em ver que eu fiz tudo ao contrário da maioria... *risos*

    Controles amigáveis...

    Apesar de ser um point ‘n click, o jogo é muito fluido, deixando a movimentação por conta do jogador, assim como dando bastante utilidade ao Dualshock, não se limitando a clicar com uma única alternativa de interação. Fugindo do convencional, acabou sendo um dos principais diferenciais entre os jogos desse gênero que já é um clássico.

    O que restou de ruim então???

    Os gráficos do jogo são bem ruins, apesar do ótimo aproveitamento do cell shade na arte. São coisas que não funcionam bem no estilo, como o fundo chapado ou cabelos muito soltos, ou ralos, no caso dos zumbis “calvos”. Algo que também fica devendo são as ligações sem cut scenes ligando uma locação a outra. Isso desorienta o jogador quanto ao lugar e ao porque fomos parar ali.

    Considerações finais

    Por ser gratuita, a primeira parte de The Walking Dead, é quase obrigatória para quem tem um PS3. O jogo é simples e fácil de ser jogado tornando a experiência agradável a todos, ainda mais quem busca boa história e não liga muito pra dificuldade. O jogo contém suas falhas, mas não é algo que desestimule o progresso, que é bem fluido e você nem vê o tempo passar. Talvez a tática de colocar o primeiro capítulo de graça e os outros pagos, tenha sido uma tacada de mestre da Telltale, mas a qualidade do jogo deve fazer o jogador pensar que valeria cada centavo investido mesmo que custasse algum centavo.

    Mulder


    <b></b> :
    Online
    Offline

    <b>Data de inscrição</b> Data de inscrição : 14/06/2010
    <b>Mensagens</b> Mensagens : 10667
    <b>Pontos</b> Pontos : 12160
    <b>Avaliações Positivas</b> Avaliações Positivas : 328

    Aprovado Re: [ANÁLISE] The Walking Dead: A New Day

    Mensagem por Mulder em 30/5/2014, 13:53



    Atenciosamente, Staff Games 4Evil!

    mr_bean


    <b></b> :
    Online
    Offline

    <b>Jogo Favorito</b> Jogo Favorito : Spore
    <b>Data de inscrição</b> Data de inscrição : 26/01/2011
    <b>Mensagens</b> Mensagens : 1906
    <b>Pontos</b> Pontos : 1087
    <b>Avaliações Positivas</b> Avaliações Positivas : 40
    <b>Frase</b> Frase : Valve só sabe contar até 2

    Aprovado Re: [ANÁLISE] The Walking Dead: A New Day

    Mensagem por mr_bean em 30/5/2014, 14:51

    Muito legal a análise Leo, eu até cheguei a comprar, mas ficava com um lag muito loko e acabei trocando =/

    Conteúdo patrocinado

    Aprovado Re: [ANÁLISE] The Walking Dead: A New Day

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: 25/2/2017, 03:48